Brasil


Cabo Frio - Rio de Janeiro - Brasil

postado em 3 de mar de 2015 16:36 por Road Garage   [ 7 de out de 2015 08:59 atualizado‎(s)‎ ]

Ponte:

(Ponte Rio-Niterói - BR-101 - Baía de Guanabara - Rio de Janeiro - Brasil)

TC96 Lovers:

(Joaquino S2 Ruanita - Cabo Frio - Rio de Janeiro - Brasil)

Dunas:

(Dunas do Peró - Cabo Frio - Rio de Janeiro - Brasil)

Pedra:

(Pontal do Peró - Cabo Frio - Rio de Janeiro - Brasil)

Mar:

(Pontal do Peró - Cabo Frio - Rio de Janeiro - Brasil)

Gaivotas:

(Peró - Cabo Frio - Rio de Janeiro - Brasil)

Live to fly, fly to live:

(Cabo Frio - Rio de Janeiro - Brasil)

Cactos:

(Praia das Conchas - Cabo Frio - Rio de Janeiro - Brasil)

Lua cheia:

(Peró - Cabo Frio - Rio de Janeiro - Brasil)

Pôr do sol:

(Pôr do sol no Cristo Redentor visto de Niterói - Rio de Janeiro - Brasil)




Araras | Paty do Alferes - Rio de Janeiro - Brasil

postado em 16 de set de 2014 13:50 por Road Garage   [ 4 de nov de 2014 02:47 atualizado‎(s)‎ ]

Subir a Serra do Mar é um dos nossos roteiros favoritos (ver mais aqui: Petrópolis | Teresópolis - Rio de Janeiro - Brasil)

Também conhecida como serra de Petrópolis, a região serrana esconde muitos caminhos, entre eles, o caminho do Imperador:

(Araras - Petrópolis - Rio de Janeiro - Brasil)


D. Pedro pediu que abrissem um caminho mais curto para as mulas que faziam o carreto na Estrada Real, ligando Araras a Fagundes, Secretário e Sebollas (ver aqui: Fagundes | Sebollas - Rio de Janeiro - Brasil)

Hoje, uma pequena rua de pousadas no meio da floresta:

(Araras - Petrópolis - Rio de Janeiro - Brasil)

Trocando uma foto por meia banana. A do tatu vou ficar devendo.

Se o dia foi bom, a noite melhor ainda:

(Araras - Petrópolis - Rio de Janeiro - Brasil)

"Curtindo o frio":

(Araras - Petrópolis - Rio de Janeiro - Brasil)

Filipec, essa porra é um site de moto ou não é?

Dia perfeito para um rolé:

(Araras - Petrópolis - Rio de Janeiro - Brasil)

Então bora descer a serra para Paty do Alferes:

(Paty do Alferes | Petrópolis - Rio de Janeiro - Brasil)

Essa é famosa entre os amigos:

(RJ-117 - Paty do Alferes - Rio de Janeiro - Brasil)

Avisos de diversão:

(RJ-117 - Paty do Alferes - Rio de Janeiro - Brasil)

Minha curva preferida:

(RJ-117 - Paty do Alferes - Rio de Janeiro - Brasil)

Gastando a pedaleira:

(FX raspando a pedaleira - Harley Davidson fazendo curvas - RJ-117 - Paty do Alferes - Rio de Janeiro - Brasil)



Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Brasil

postado em 11 de mar de 2014 12:38 por Road Garage   [ 8 de abr de 2014 04:12 atualizado‎(s)‎ ]

Muito escrevo sobre lugares que visito, e raramente sobre meu quintal. Quem conhece o Rio de Janeiro, sabe que a cidade está ao redor de um grande conjunto de montanhas, onde fica o Parque Nacional da Tijuca, o parque brasileiro que mais recebe visitas todos os anos e está entre os maiores parque floresta urbana do mundo.  Por ser uma cidade litorânea, a altitude das montanhas se destaca em relação ao nível do mar, de longe se vê o Rio:

(Cidade do Rio de Janeiro vista da Pedra do Sino - Teresópolis - Rio de Janeiro)

Conseguimos identificar da esquerda para direita: morro da Urca, Corcovado, Sumaré, Pedra da Gávea, Pico da Tijuca, e etc...

Se vê de perto e a nível do mar também:

(Montanhas do Rio de Janeiro vistas da praia do Arpoador - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

O Parque Nacional da Tijuca fica situado exatamente nessas montanhas, e é dividido em 4 áreas:


Serra da Carioca

O ícone da Serra da Carioca é o Corcovado, morro escarpado que conta com o Cristo Redentor no ponto mais alto, visível de muitos bairros da cidade:

(Corcovado + Cristo Redentor visto da Lagoa - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

A trilha para ter acesso ao Corcovado começa no Parque Lage, que está situado na sua base e que também faz parte do Parque Nacional da Tijuca. Parque lage é um casarão colonial desde a época das Sesmarias, e que hoje abriga a escola de artes visuais. Tem uma área ao redor semelhante ao Jardim Botânico, seu vizinho. Para quem curte a natureza, é o lugar certo. Ou não:

(RIP Cigarra - Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

A fauna é vasta, porém os turistas menos atentos só percebem o personagem principal do parque:

(Serra da Carioca - Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

Para os que não gostam de trilha, o acesso a esse paraíso é feito pela Estrada das Paineiras, que começa no bairro Cosme Velho. Pense no melhor lugar para se andar de moto no meio de uma cidade grande:

(Estrada das Paineiras - Serra da Carioca - Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

As ruas-estradas do Parque da Tijuca são estreitas, rodeadas de mata atlântica e repleta de curvas. O clima aqui em cima é perfeito para pilotagem, e o visual é sensacional. Aqui acessamos outros pontos de interesse, como a Mesa do Imperador, onde D. Pedro II vinha tomar café da manhã com outros Nobres e Burgueses. Tinha bom gosto:

(Cidade do Rio de Janeiro vista da Mesa do Imperador - Serra da Carioca - Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

Os melhores e mais visitados mirantes da cidade (como Mirante Dona Marta e mirante Vista Chinesa) estão nessa estrada. A vista da cidade do Rio de Janeiro é panorâmica e é parada certa para quase todos os turistas que nos visitam. Serra da Carioca com seus pontos turísticos e mirantes é carimbo certo:

(Serra da Carioca vista do morro da Urca - Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)


Pedras Bonita e Gávea

Ao contrário da Serra da Carioca, Pedras Bonita e Gávea é a área menos acessada pelos turistas. Não pela falta de beleza, mas pela dificuldade de acesso e falta de pontos turísticos populares. Aqui o mirante é natural, em cima de uma pedra, no meio de uma trilha pela Mata Atlântica. E que visual. Em dias de céu limpo, se vê até o Dedo de Deus, em Teresópolis:

(Pedra Bonita Vista da Pedra da Gávea - Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

Como dito, se a trilha pela Mata Atlântica inibe os turistas, a fauna local dá o toque final:

(Aranha Tarântula Caranguejeira - Trilha para Pedra da Gávea - 
Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

Depois de uma trilha de quase 3 horas, estamos na pedra da Gávea, onde temos visão plena de toda a área. Na foto, Pedra Bonita e Agulhinha da Gávea em primeiro plano e Floresta da tijuca ao fundo:


(Pedra Bonita e Agulhinha da Gávea vista da Pedra da Gávea - 
Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

E a cabeça do imperador, que fica atrás da Pedra da Gávea, repleta de mistérios e lendas:

(Pedra da Gávea - 
Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

A pergunta que inquieta: Quem esculpiu esse rosto? Os Fenícios?

(Pedra da Gávea - 
Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

Para subir ao topo, os trilheiros tem que se espelhar nos moradores do local:

(Lagarto na Pedra da Gávea - 
Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

Porque a Pedra da Gávea é o ícone carioca do Montanhismo. Uma parede de pedra quase vertical de 30 metros, repleta de fendas. Chamada de Carrasqueira, é o ponto que separa os homens das crianças, selecionando quem vai chegar ao topo. Apenas para os fortes:

(Carrasqueira - Pedra da Gávea - 
Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

O desafio vale a pena, pois a Pedra da Gávea sabe recompensar muito bem os montanhistas:

(Rio de Janeiro visto da Pedra da Gávea - 
Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

Daqui de cima se vê grande parte da cidade e do litoral do Rio de Janeiro, desde a Zona Sul até a Zona Oeste, além de Niterói. Só não se vê a própria Pedra da Gávea. Sendo assim, vamos a Pedra Bonita.

Para acessar a Pedra Bonita, subimos a Mata Atlântica pela Estrada da Pedra Bonita, que não deixa a desejar em termos de curvas em comparação as outras estradas do parque. A diferença aqui são as grandes subidas em curva, que afasta os inexperientes. Só para pilotos:

(Estacionamento da Rampa de Voo Livre - Pedra Bonita - 
Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

A Rampa de Voo Livre está situada nesse local, berço do voo livre no estado e no país. Lembra o visual da foto anterior? Você voará ali, junto com os carcarás. Imperdível! E aqui também começa a trilha para a Pedra Bonita, rápida e fácil:

(Trilha para Pedra Bonita - 
Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

E enfim, a Pedra da Gávea, esse imenso bloco de 852 metros de altitude a nível do mar. Sente a cara de malvadão do Imperador:

(Pedra da Gávea vista da Pedra Bonita - 
Parque Nacional da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

Não precisa dizer que se você for a praia, a pedra Bonita e da Gávea são figurinhas carimbadas! Juntas formam a figura de um homem deitado, pegando sol nas praias do Rio de Janeiro:

(Pedra Bonita e Pedra da Gávea vistas da praia da Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)


Floresta da Tijuca

A maior parte do Parque é composta pela mundialmente conhecida Floresta da Tijuca:

(Floresta da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro)

Já andou de moto no meio de uma floresta? Bem vindo:

(Floresta da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil)

Apesar da estrada que passa pelo meio da floresta, a maior parte das vias na verdade são trilhas pela mata:

(Trilhas pela Floresta da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil)

Muitos e muitos kms de trilhas para cerca de 15 picos, no meio da flora e da fauna já muito conhecida. Macacos novamente? Aqui tem muitos, e se amarram numa jaca. Aliás, cuidado para não levar uma na cabeça:

(Macacos comendo Jacas - Floresta da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil)

O ponto mais alto é o Pico da Tijuca, a 1.021m de altitude. Daqui se vê toda a zona norte da cidade, e a serra do Mar. Isso quando o tempo está bom, senão:

(Pico da Tijuca - Floresta da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil)

Se o tempo estiver ruim, não tem problema, além dos picos a Floresta da Tijuca conta com várias grutas a serem exploradas:

(Floresta da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil)

Sinistro:

(Floresta da Tijuca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil)


Covanca / Pretos Forros

Não há visitação nessa área, que conta apenas com a continuação já desmatada da Floresta da Tijuca. Atualmente está em processo de reflorestamento, se as favelas assim permitirem.

Então, vamos falar de uma outra área que não é considerada extensão do Parque Nacional, mas tem extremo valor: morro do Pão de Açúcar, morro da Urca:

(Pão de Açúcar - Morro da Urca Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil)

Impossível dizer que essa silhueta não faz parte das Montanhas Mágicas do Rio de Janeiro. Daqui de cima se vê boa parte do cartão postal carioca:

(Morro da Urca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil)

Para acessar o morro da Urca, temos a opção do bondinho ou mais uma trilha pelo meio da mata atlântica. Lembrando, não alimente os animais:

(Trilha para o morro da Urca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil)

Não conhece o Rio de Janeiro? Recomendo a visita:

(Praia Vermelha - Urca - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil)



Desterro do Melo - Minas Gerais - Brasil

postado em 31 de jan de 2014 05:19 por Road Garage   [ 10 de mar de 2014 10:42 atualizado‎(s)‎ ]

Hoje em dia até de Harley chega-se em Desterro do Melo. A foto abaixo é de uma estrada secundária, a principal é asfaltada até o portal da cidade. Tempos em que passava-se de fusca ou carro de boi:

(Estrada não mapeada - Desterro do Melo - Minas Gerais - Brasil)

Apesar do asfalto, a cidade mudou pouco, preservando seu ar de cidade do interior: uma igreja na praça principal, casas simples cercadas por montanhas verdes:

(Desterro do Melo - Minas Gerais - Brasil)

Cidade do interior é assim, sempre tem alguém na janela, vendo a vida passar, devagar:

(Desterro do Melo - Minas Gerais - Brasil)

Mais afastado da cidade, as fazendas. Aqui a vida é mais devagar ainda:

(Estrada não mapeada - Desterro do Melo - Minas Gerais - Brasil)

Mas, como todo boa cidade mineira, sabe receber seus visitantes:

(Desterro do Melo - Minas Gerais - Brasil)

Boa pinga e boa comida. Claro, feita da maneira tradicional:

(Desterro do Melo - Minas Gerais - Brasil)

Impossível não fazer amigos. E no final, tentam de tudo para você não ir embora:

(Desterro do Melo - Minas Gerais - Brasil)

Vale voltar sempre!

Varginha - Minas Gerais - Brasil

postado em 24 de jan de 2014 07:42 por Road Garage   [ 10 de mar de 2014 10:41 atualizado‎(s)‎ ]

A cidade de Varginha, localizada no sul de Minas, destaca-se por ser um dos principais centros de comércio e produção de café do Brasil e do mundo, produzindo cafés de excelente qualidade (Café Gourmet). A cidade é um polo de exportação de café, escoando a maior parte da produção da região, fazendo o comércio do grão com diversos países. Por esse motivo é considerada um porto seco:

(Varginha - Minas Gerais - Brasil)

Mas não foi apenas o café que a tornou conhecida internacionalmente. Em 1996 ocorreu o episódio conhecido como o "Incidente de Varginha", onde dois seres alienígenas decidiram visitar o planeta terra nos tempos atuais, e claro, pararam aqui para tomar um café mineiro.

Se você acha que apenas uma pessoa viu os ETs, está errado. Muitos da cidade tiveram contato imediato, já que os seres foram levados ao hospital! Depois disso, o exército apareceu, e os seres sumiram. Há muita história a respeito do caso, o que impede de ser esquecido. Além disso, a cidade sabe explorar o lado turístico.

Por exemplo, na hora de pegar o ônibus, a população espera pacientemente embaixo de um disco voador:

(Varginha - Minas Gerais - Brasil)

Um OVNI gigante abduzindo... Digo, recebendo os visitantes:

(Varginha - Minas Gerais - Brasil)

E para os que querem ter contato imediato, adianto que o cara é gente boa. Só não dar mole com sua jaqueta:

(Varginha - Minas Gerais - Brasil)


São Thomé das Letras - Minas Gerais - Brasil

postado em 14 de jan de 2014 04:46 por Road Garage   [ 10 de mar de 2014 10:39 atualizado‎(s)‎ ]

Chegar em são Thomé das Letras, pela região da Estrada Real, é um desafio a parte:

(Estrada desconhecida - Minas Gerais - Brasil)

60km de estrada de chão entre fazendas, de porteira em porteira, pedindo para não chover. Subidas e descidas íngremes, muitas pedras soltas, o que sugere o uso de veículos 4x4. Para os mais corajosos (ou loucos), um pouco de paciência, chegamos a cidade mineira:

(São Thomé das Letras - Minas Gerais - Brasil)

Impossível passar por aqui e não ir a uma cachoeira:

(Cachoeira Eubiose - São Thomé das Letras - Minas Gerais - Brasil)

Talvez outra cachoeira, a do Flávio. Tomar um banho para relaxar:

(São Thomé das Letras - Minas Gerais - Brasil)

Toda as cachoeiras são acessadas por pequenas trilhas pela mata, de dificuldade "leve". São feitas em pouco tempo, interagindo com a natureza, que aqui é abundante:

(Cachoeira Véu da noiva - São Thomé das Letras - Minas Gerais - Brasil)

Percebe-se que um lugar tem ar puro, e é preservado, onde há borboletas. Aqui se vê muitas, pequenas e grandes, de cores vivas, o que acabou dando nome ao vale:

(Vale das Borboletas - São Thomé das Letras - Minas Gerais - Brasil)

Mas essa cidade tem várias faces, e as cachoeiras fazem parte de uma delas. A outra é a formação geológica do local, datada de milhões e milhões de anos, quando a terra era um mar de sedimentos a uma temperatura exorbitante. Acabou formando diversas camadas de arenito, que com os anos se transformaram em esculturas únicas:

(Pedra furada - São Thomé das Letras - Minas Gerais - Brasil)

Alguns dizem que aqui já foi o fundo do mar:

(Gruta do Chico Taquara - São Thomé das Letras - Minas Gerais - Brasil)

O arenito é muito utilizado na construção e arquitetura, mais conhecido também como pedra de piscina ou pedra São Thomé, dando fama a cidade. E demanda a suas enormes pedreiras:

(São Thomé das Letras - Minas Gerais - Brasil)

Daqui sai o Arenito para todo o Brasil. Se quiser visitar, recomendamos contratar um guia e Jipe 4x4, além de muitos caminhos entre as pedreiras, as pedras podem causar danos aos pneus:

(São Thomé das Letras - Minas Gerais - Brasil)

(São Thomé das Letras - Minas Gerais - Brasil)

Outra face de São Thomé é o misticismo. Diz-se que aqui se encontra um dos sete pontos energéticos da terra. Para os que não acreditam (ou acreditam), isso pode ser experimentado na ladeira do Amendoim:

(São Thomé das Letras - Minas Gerais - Brasil)

Na foto acima, é uma subida ou uma descida? Não importa o que se vê, o carro é puxado para o sentido contrário que a física nos faz acreditar. Ilusão de ótica, magnetismo, gravidade ou mística? O fato é que a cidade atrai todo o tipo de maluco. Por exemplo essa gruta foi cercada e fechada após muitos acreditarem que ela levaria até Machu Picchu, no Peru, considerado outro ponto energético da terra. Hoje as pedreiras estão tomando conta do lugar, e a gruta corre o risco de desabar:

(São Thomé das Letras - Minas Gerais - Brasil)

Malucos ou não, os visitantes com certeza valorizam, preservam e contemplam a natureza. São Thomé tem o pôr do sol muito disputado. Cena rara de se ver:

(Por do sol na Pirâmide - São Thomé das Letras - Minas Gerais - Brasil)

Um presente para essa cidade a 1440m de altitude:

(São Thomé das Letras - Minas Gerais - Brasil)

Itatiaia - Rio de Janeiro - Brasil

postado em 23 de out de 2013 04:23 por Road Garage   [ 14 de jan de 2014 09:24 atualizado‎(s)‎ ]

Nesse final de semana rolou o terceiro rolé extremo (Veja o primeiro aqui: Petrópolis | Teresópolis - Rio de Janeiro - Brasil e o segundo aqui: Alto Caparaó - Minas Gerais - Brasil) Dessa vez fomos para o Parque Nacional do Itatiaia, entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Muita gente conhece esse parque, porque passa pela Via Dutra, rodovia que liga São Paulo e Rio de Janeiro, e observa ao lado essa cadeia montanhosa chamada de maciço do Itatiaia, que é a parte da Serra da Mantiqueira que fica dentro do parque nacional. Partimos do Rio as 2:30 da matina, em noite de lua cheia:

(BR 116 - Dutra - Rio de Janeiro - Brasil)

O objetivo é subir o Pico das Agulhas Negras, com 2.791,55 metros de altitude, ponto culminante do estado do Rio de Janeiro, e a sexta montanha mais alta do Brasil, servindo como preparação para a viagem ao Altiplano Boliviano que vai ocorrer em breve, acompanhem. Depois de percorrer bons km de madrugada, e perceber que minha luz da lanterna + freio estava queimada (veja foto acima), pegamos a BR-354 com suas curvas de tirar o fôlego e chegamos na Garganta do Registro, que fica a 1.669,28 m de altitude, sendo a estrada federal asfaltada mais alta do Brasil:

(BR 354 - Divisa Rio de Janeiro | Minas Gerais - Brasil)

Essa é a parte mais alta, que fica na entrada do parque nacional e faz divisa entre os estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais. Aqui começa a BR-485, que atravessa o parque, tem o seu ponto culminante a 2.460 m de altitude no seu interior e é assim considerada a estrada mais alta do Brasil (sem asfalto), pena que em alguns trechos pode ser trafegada apenas a pé, e nos outros trechos apenas para os mais corajosos. A estrada é feita para 4x4 e motos de trilha, infelizmente outros veículos sofrem nas pedras e barro, mas nós não desistimos, ver aqui A smooth road never made a skilled rider. Depois de 17km, a entrada do parque:

(Entrada superior do Parque Nacional do Itatiaia - Itatiaia - Rio de Janeiro - Brasil)

A partir daqui, é deixar a moto e seguir a pé pela estrada. Aqui começa a trilha para o Pico das Agulhas Negras:

(BR 485 - Parte superior do Parque Nacional do Itatiaia - Estrada para a trilha do Pico das Agulhas Negras e Prateleiras)

Depois da estrada, começa efetivamente a trilha, que tem 2,4km e parece nos levar rapidamente ao topo:

(Pico das Agulhas Negras - Parque Nacional do Itatiaia - Rio de Janeiro - Brasil)

Entretanto a trilha não é demarcada, pois passa por rios e uma selva de pedras:

(Chegando ao cume - Pico das Agulhas Negras - Parque Nacional do Itatiaia - Rio de Janeiro - Brasil)

Alguns trechos são extremamente técnicos e é necessário equipamento básico de escalada. Um guia também é recomendado:

(Acesso ao cume - Pico das Agulhas Negras - Parque Nacional do Itatiaia - Rio de Janeiro - Brasil)

Depois de algumas horas, estamos a 2.791,55m de altitude, na montanha mais alta do Rio de Janeiro. Daqui vemos Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais:

(Cume - Pico das Agulhas Negras - Parque Nacional do Itatiaia - Rio de Janeiro - Brasil)

Primeira parte da missão cumprida, descemos, fizemos o caminho de volta e pernoitamos na cidade de Itamonte em Minas Gerais, que fica a 20km da Garganta do Registro. Dia seguinte, voltamos ao parque, afim de fazer a trilha para o Pico das Prateleiras, com 2,3km de extensão e 2.540m de altitude e que prometia ser mais fácil.

No caminho, algumas nascentes de rio, o que nos permitiu reabastecer o estoque de água:

(Nascente do Rio Campo Belo - Parque Nacional do Itatiaia - Rio de Janeiro - Brasil)

Estava enchendo a garrafa quando mais atentamente percebo alguns mini-sapos. Mini mesmo, saca só:

(Sapo Flamenguinho - Símbolo do Parque Nacional do Itatiaia - Rio de Janeiro - Brasil)

Além de muito pequeno, era tímido, não quis sair na foto. Essa espécie só existe aqui e na altitude de 2.400m, o que fez com que se tornasse símbolo do parque. Agora minha água tava batizada pelo Flamenguinho, beleza...

Começamos a trilha para o Pico das Prateleiras, que se mostrou mais fácil e rápida, pelo menos até a base:

(Pico das Prateleiras - Parque Nacional do Itatiaia - Itatiaia - Rio de Janeiro - Brasil)

Quando chegamos na base faltava vencer a maior pedra de 110m de altura apenas. Ai começou a saga. Uma "escalada" sem equipamentos, de pedra em pedra, numa subida alucinante por precipícios e fossos sem fundo:

(Subida do Pico das Prateleiras - Parque Nacional do Itatiaia - Itatiaia - Rio de Janeiro - Brasil)

Aqui qualquer desequilíbrio é penalizado com a morte, simples assim. Para quem achou que a pedra era pequena, saca o tamanho da galera lá em cima:

(Pico das Prateleiras - Parque Nacional do Itatiaia - Itatiaia - Rio de Janeiro - Brasil)

Essas trilhas são consideradas level hard, e é recomendando equipamento básico de escalada e guia. Não tentem fazer sozinho pois pode sair bem caro. Mas o visual daqui de cima compensa e muito:

(Pico das Agulhas Negras visto do Pico das Prateleiras - Parque Nacional do Itatiaia - Itatiaia - Rio de Janeiro - Brasil)

De um lado o Pico das Agulhas Negras, e do outro lado vemos a Via Dutra, e todo o vale desde o Rio de Janeiro até São Paulo. Valeu a pena. Cansados, voltamos até o estacionamento e cada um seguiu seu caminho com sentimento de missão cumprida.

Para mim, ainda faltava encarar 17,5 km de estrada de chão e pedras. Liguei a moto e desci me arriscando pela estrada federal mais alta do Brasil, mas devidamente recompensado com um por do sol sensacional:

(BR485 - De moto pela estrada mais alta do Brasil - Entrada superior do Parque Nacional do Itatiaia - Itatiaia - Rio de Janeiro - Brasil)

Cansado, depois de fazer kms de trilha por altitude superior a 2.400m, encarei muitos kms de volta pra casa. Rolé extremo parceiro, mira no horizonte e toca pra frente.

Cheguei vivo.

Mato Grosso do Sul - Brasil

postado em 5 de mar de 2013 04:32 por Road Garage   [ 26 de abr de 2013 05:40 atualizado‎(s)‎ ]

Barro:

(Dourados - Mato Grosso do Sul - Brasil)

Carretas:

(BR463 - Mato Grosso do Sul - Brasil)

Soja:

(BR163 - Mato Grosso do Sul - Brasil)

Fazenda:

(Estrada não mapeada - Mato Grosso do Sul - Brasil)

Cachoeira:

(Bonito - Mato Grosso do Sul - Brasil)

Natureza:

(Jardim - Mato Grosso do Sul - Brasil)

Cerrado:

(Bonito - Mato Grosso do Sul - Brasil)



Bonito - Mato Grosso do Sul - Brasil

postado em 22 de jan de 2013 04:09 por Road Garage   [ 26 de abr de 2013 05:31 atualizado‎(s)‎ ]

O Município de Bonito está localizado no sudoeste do Estado de Mato Grosso do Sul, distante 300km da capital estadual, Campo Grande. Terras da antiga Fazenda Bonito, cortadas por rios de águas cristalinas. Um convite irrecusável para a prática do mergulho ou flutuação:

(Nascente do rio Formoso - Bonito - Mato Grosso do Sul - Brasil)

Terras em pleno cerrado, onde a natureza impera, e fauna e flora ainda vivem em harmonia:

(Buraco das Araras - Bonito - Mato Grosso do Sul - Brasil)

Grutas e lagoas subterrâneas conservadas:

(Gruta Azul - Bonito - Mato Grosso do Sul - Brasil)

Um lugar para se visitar e curtir a natureza com todo o respeito:

(Rio Formoso - Bonito - Mato Grosso do Sul - Brasil)

Chegando em Bonito, o turista pode contratar os passeios nas agências, ou seguir as placas. A cidade é muito bem sinalizada e tem placas para todas as atrações, que distam em média 10km. Para quem gosta de se aventurar por estradas de chão (em sua maioria) pode ir por sua conta e risco:

(Bonito - Mato Grosso do Sul - Brasil)

A diversão é garantida! Muitos bois no meio da estrada, mata-burros, pontes de madeira, caminhos de pedras e um cenário incrível para andar de moto e contemplar a natureza! 

Vale voltar sempre!


Espírito Santo - Brasil

postado em 7 de jan de 2013 08:42 por Road Garage   [ 13 de mar de 2013 05:13 atualizado‎(s)‎ ]

Chuva:

(BR101 - Divisa RJ/ES - Brasil )

Maresia:

(Itapemirim - Espirito Santo - Brasil)

Areia:

(Guarapari - Espirito Santo - Brasil)

Capital:

(Vila Velha | Vitória - Espirito Santo - Brasil)

Galera:

(Bad Service - Vitória - Espirito Santo - Brasil)

Pedra:

(Pedra Azul - Domingos Martins - Espirito Santo - Brasil)

Nuvens:

(Pedra Menina - Espirito Santo - Brasil)

Horizonte:

(Pico da Bandeira - Espírito Santo - Brasil)

Estrada:

(Mimoso do Sul - Espírito Santo - Brasil)



1-10 of 26