Día 21: Ushuaia - Bahía Lapataia - Rio Gallegos

postado em 8 de jan de 2015 05:44 por Road Garage   [ 2 de fev de 2015 05:04 atualizado‎(s)‎ ]
Infelizmente temos que voltar, mas não sem antes percorrer a Ruta 3 até o final. Ela não acaba no Ushuaia, e sim no Parque Nacional Tierra del Fuego. Fomos bem cedo para o parque, nos antecipando aos ônibus que descarregam vários turistas ao longo do dia. Uma estradinha de rípio por entre a floresta, com alguns carcarás se alimentando. Estávamos devagar, apreciando o lugar, e as pontes estreitas de madeira. Um lugar bem legal para se passar um dia inteiro fazendo trilhas, mas nosso objetivo era outro. Era chegar ao final:


A famosa placa onde termina a Ruta 3! Fica numa área cercada, onde é proibido entrar com motos de trilha. Como estamos com motos custom, não tem problema! kkk

Agora sim, a foto oficial. Comandante El Colorado e o Guerreiro El Negro, com suas respectivas Harleys-Davidsons:


Tem um caminho ali atrás, indo mais além e sempre tive essa curiosidade. Bahia Lapataia:


Agora só há mar. Voltamos pelo parque e conhecemos a unidade postal Fin del Mundo, o correio mais austral:


Postal enviado, me dei conta que alcançamos o extremo sul Argentino, em relação a La Quiaca:


Claro, então me falta uma placa, com a distância a La Quiaca:


Quando tirei a foto em La Quiaca, lembro que a distância até Ushuaia era superior a 5000 kms. Pelo visto diminuiu, Argentina cedeu um pouco de terra pra Bolivia, um outro tanto pro Chile, e agora está mais curta. rs

De qualquer forma, iremos para Buenos Aires pela Ruta 3, percorrendo os 3094kms. Em um instante finalizamos a Terra do Fogo Argentina, voltando ao Chile:


Encaramos todo o rípio de novo, sendo que dessa vez o tráfego de carretas estava acentuado. Deu mole vira esqueleto:


RIP Guanaco. RIP Pneu:


Pois é, o esqueleto era um mal presságio, acabei furando o pneu traseiro a 13kms do término do rípio. Senti a moto rebolando mais que o normal, vi que tinha furado o pneu, sentei no tanque e fui embora para a área pavimentada. Fui elogiar o rípio na ida...

Por sorte, para essa viagem, adesivei um spray "reparador" no frame da moto:


Apesar de não reparar totalmente, ele enche o pneu, o suficiente para me levar ao único posto de serviço em Cerro Sombrero, onde por sorte havia um compressor de ar:


Enchi o pneu e o furo começou a assoviar. Pronto, achei o furo. Como viajo com um kit de borracheiro, destaquei um "macarrão" e tratei logo de vedar o furo:


Além das ferramentas básicas para viagem de moto (você já acompanhou a dica aqui no site), esse kit salva da roubada:


Problema resolvido! Abastecemos e nos despedimos de Cerro Sombrero, aguardando a barca do Estreito de Magalhães, que dessa vez estava operando normalmente:


Adeus Terra do Fogo:


Pernada rápida até a fronteira Integracion-Austral, onde Chile e Argentina fazem o processo de Migração e Aduana de forma unificada. Já era final do dia quando saímos da fronteira percorrendo a Ruta 3. Visitar o parque, encarar o rípio, furar pneu, esperar barca e fazer 2 fronteiras nos tomou muito tempo, e não teve jeito, a noite caiu, e a escuridão tomou conta dos últimos kms antes de Rio Gallegos.

Ligamos o GPS e acompanhamos as lanternas de um carro, até chegar na cidade, onde mais uma vez o GPS salvou a pátria, nos levando diretamente a um restaurante. A fome estava de matar! Jantamos e tomamos nossas Patagonias de hoje:


Cansados e com sono, colocamos o GPS para trabalhar mais uma vez, nos levando diretamente a um hotel. 

Obrigado, Tamagotchi!

Comments