Dia 24: Várzea Grande - Três Lagoas

postado em 16 de dez de 2013 02:19 por Road Garage   [ 19 de dez de 2013 07:09 atualizado‎(s)‎ ]
Hoje o dia começou bem, com um engarrafamento quilométrico de carretas:

(BR 163 - Mato Grosso - Brasil)

Como não tinha tráfego na mão contrária, fui eu fazer uma ultrapassagem combo. Até chegar no acidente, uma carreta de lado com a carga virada, obstruindo as duas pistas, não passava ninguém, a não ser moto. Bem cedo já estava na divisa com Mato Grosso do Sul:

(BR 163 - Divisa Mato Grosso | Mato Grosso do Sul - Brasil)

Estrada tranquila até Campo Grande, onde nuvens com chuva se aproximavam. Fui procurar minha capa de chuva e...:

(BR262 - Mato Grosso do Sul - Brasil)

Caiu na estrada. Se alguém achar uma capa de chuva na BR163 no Mato Grosso, é minha! Também aceitamos doações... Mas por enquanto, que beleza, daqui até o Rio de Janeiro sem capa de chuva. E tome spray:

(BR262 - Mato Grosso do Sul - Brasil)

A chuva cedeu, parei a beira da plantação de eucaliptos para tirar a água do joelho. O eucalipto tinha sido cortado recentemente, e como estava molhado, um cheiro bom por todo o lugar. 

Estrada mais cheirosa que essa impossível:

(BR262 - Mato Grosso do Sul - Brasil)

E aquela chuva no horizonte que estava prometendo, começou a cair. Tive que diminuir a velocidade e a noite era certa. Não gosto de viajar a noite, mas como já conhecia aquela estrada, resolvi arriscar. Não deu outra, caí na exponencial noturna. 

Exponencial noturna, quanto mais você roda, mais você tem que rodar. Explico: a noite está aproximando e vc a 120km de uma cidade, rodando a 120km/h. Quando estiver a 100km, a visibilidade diminuiu e você terá que rodar a 100km/h, faltando ainda 1hora para chegar. Quando estiver a 80km, a noite já caiu e você já não enxerga muita coisa, e sua velocidade será de 80km/h, faltando ainda 1 hora para chegar na cidade. Começou a chover? A estrada ficou ruim? Você está cansado? Faltam 70km e sua velocidade é de 70km/h, e assim sucessivamente. Essa 1 hora se perpetua pela noite a dentro, e você se sente preso nas trevas.

Esse era o meu caso, a chuva começou a cair forte, carretas vinham na mão contrária causando um spray, que iluminado pelo farol alto virava uma cortina branca, limitando minha visão. Muita água e... Frio, me parabenizando por perder a capa naquele dia. De repente algo brilhante vem pulando do acostamento para o meio da pista. Era um sapo todo molhado, refletindo a iluminação do meu farol. 1 salto, 2 saltos, 3 saltos... e a aterrizagem do quarto salto foi debaixo da minha roda dianteira, não tinha como desviar, o asfalto estava muito escorregadio. A moto deu aquela rebolada. Imagine cair por esse motivo... Mas... Descanse em paz pequeno sapo.

Cara, sapo na pista, que chuva é essa!?

Algo aconteceu depois que eu atropelei o sapo. Os Deuses protetores dos anfíbios se revoltaram no céu. Raios violentos começaram a cair, era estouro pra tudo quanto era lado, e o clarão no céu! Um desses raios iluminou o horizonte e eu percebi que estava próximo de linhas de transmissão de alta tensão! Elas passam ao lado da estrada. Claro, porque não, vou filmar a minha morte. Me aproximando de uma dessas torres de energia, passa um raio na minha frente. Tá pensando que é brincadeira?

(BR262 - Mato Grosso do Sul - Brasil)

Após o raio, a escuridão voltou a tomar conta, e meu farol alto iluminava pouco. Sabia que estava me aproximando daquele ponto, mas não sabia quando.

Reduzi um pouco a velocidade, e me acalmei lembrando que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar. Será? De repente, um porradão do meu lado esquerdo, o céu e a pista ficaram iluminados!

(BR262 - Mato Grosso do Sul - Brasil)

MERMÃÃÃÃO!! O raio caiu ali bem próximo! Se eu tivesse com vontade de ir ao banheiro teria largado ali mesmo... Pense num frio na barriga! Apenas Deus para aquela merda não cair nas torres do lado direito...

Fui no sapatinho até chegar em Três Lagoas, que fez jus ao nome, e realmente mais parecia uma lagoa. Cheia de poças dágua, tudo alagado. Dei sorte de achar um hotel barato e de cara pro gol.

É por essa e outras que não se anda a noite, principalmente quando está chovendo. Mas... 

Estou vivo... E agora sim: 

Maldito sapo, vá pro inferno.

Comments