Viagem Nordeste‎ > ‎

Dia 18: São Miguel do Gostoso - Fortaleza

postado em 29 de jun de 2015 10:07 por Road Garage   [ 15 de set de 2015 06:08 atualizado‎(s)‎ ]
São Miguel do Gostoso é uma cidade alternativa para quem pratica esportes aquáticos que dependem do vento e não quer pagar a fama de um lugar mais conhecido.

Tem muitos cataventos de energia eólica, seja na praia ou beirando a estrada.

Ao sair da cidade, peguei uma rodovia estadual não pavimentada, achando que logo me levaria a BR. Estava enganado, alguns kms depois, estava no meio do nada, um lugar bem estranho quando uma moto com dois caras sem capacete se aproximava rapidamente. Senti que algo poderia acontecer e decidi me antecipar, olhei pra trás e fiz sinal para que eles parassem, foi o tempo certo de emparelharem e paramos rapidamente. Fiquei logo em pé com a moto entre minhas pernas, me inclinei na direção deles e comecei a falar alto e gesticular. "Fala brother, aqui não sai na BR não, né!?" Fizeram uma expressão estranha, e disseram para eu voltar, pois ali era "muito perigoso" nesse momento percebi que realmente eu era uma "oportunidade" para os dois. Emendei em tom de brincadeira que ali não era perigoso, e sim na favela onde morava. Esboçaram um sorriso, que logo foi cessado com uma acelerada de efeito. Se assustaram com o barulho do escapamento da Ruanita e a porrada seca da primeira marcha, acelerei forte tracionando de lado, fiz a manobra e puxei a primeira marcha em sentido contrario, com a moto rabeando. Fiquem com a poeira... Se viessem atrás, já sabiam que era maluco o suficiente para jogar a moto em cima deles...

Liguei o GPS e dessa vez peguei a estrada correta, mas ainda deserta. Ir do Rio Grande do Norte para o Ceará, tem que ficar ligado:


Enfim, sai na BR-304 com asfalto bom e longas retas, decidi aferir o consumo numa velocidade de cruzeiro mais elevada, mantendo uma média de 140 ~ 160kms/h por pouco mais de uma hora. Fez 18km/litro. Abastecí em Mossoró, cidade que tem meus elogios pelo anel viário de respeito:


Continuei da BR-304, chegando na divisa:


Agora já no Ceará, encontrei com duas carretas que transportavam uma pá de hélice de energia eólica. Saca o tamanho:


Ruanita ficou pequena na foto.

O destino de hoje era Fortaleza, até ver a placa de Canoa Quebrada. Imperdível:


Passei algumas horas nesse paraíso:


A tarde, reconsiderei alcançar o destino, com o sol a meia-altura, parti em direção a Fortaleza. Sol forte de frente, me obrigou a trocar o capacete. Esse é o da discórdia, com boné protetor:


Me disseram que a polícia era bem chata e implicaria com o capacete. Fui até a capital do estado desviando o olhar do sol e dos caras. Funcionou.

Comments