Viagem Nordeste‎ > ‎

Dia 02 - Itabatã (BA) - Porto Seguro

postado em 4 de mai de 2015 02:45 por Road Garage   [ 15 de set de 2015 05:43 atualizado‎(s)‎ ]
BR-101 no Espirito Santo e aqui no Sul da Bahia tem um cenário único, com essas pedras enormes:


Dentre elas, uma muito importante para o Brasil, o monte Pascoal. Hoje um Parque "Nacional", no meio das terras dos índios Pataxó. Parei a moto na entrada, e logo o Cacique veio falar comigo:


Teria que pagar R$55,00 reais para fazer a trilha de 1700metros até o cume, e alguém iria me acompanhar. Nem para subir o Pico das Agulhas Negras com guia e equipamentos eu paguei isso, mas tudo bem, estou na terra dos caras e conhecemos a história dos índios no Brasil. Encarei como uma pequena indenização...

Comecei a tirar a roupa, o Cacique me questionou com ar de preocupação se eu ia ficar pelado. Disse que estava de sunga ia colocar uma bermuda e camiseta para fazer a trilha. Não se fazem mais índios como antigamente... rs Pendurei tudo na moto e partimos para trilha:


O indiozinho que acompanhou estava descalço e não suou um pingo sequer entre a mata atlântica úmida e abafada, eu em compensação suando bicas, até chegar ao cume:


Visual das terras Pataxó, até o oceano Atlântico:


Na minha imaginação o monte era bem mais próximo do mar, mas apesar da distância, ainda hoje serve de guia para os pescadores locais. Alguns minutos relembrando a história do descobrimento, descemos e fomos recompensados com um cacau, que foi arrancado do pé com a enorme peixeira que os índios aqui levam na cintura:


Parece fruta do conde, tem gosto de jaca, mas é cacau. Como sai o chocolate disso ai eu nem imagino rs

Me fantasiei de motoqueiro novamente e rumei para o litoral. Próxima parada, praia de Trancoso. Voltei a retirar a roupa, pendurei tudo na moto e dei um mergulho:



Marquei uma hora, tomei meu banho de mar, com o sol rachando o coco. Alias, coco aqui é o que não falta, hoje só bebi água de coco, muito barato e tem várias barraquinhas na estrada.

Voltei para a moto, me fantasiei novamente e segui viagem. Essa logística de praia + areia e roupas + moto é complicado, mas enfim eu acerto.

Segui o litoral passando por outras praias, barca para Arraial d'Ajuda e depois Porto Seguro:


Chegando em Porto Seguro, na costa do descobrimento:


Dei um rolézinho pela cidade, decidi não ficar, continuei margeando o mar:


O dia estava acabando, parei a moto na areia e mergulhei, hoje o por do sol vai ser visto do mar, onde as caravelas chegaram a mais de 500 anos:


Fiquei olhando a movimentação, tranquilo para um camping selvagem. No processo, acabei conhecendo um louco que está viajando toda a América do sul em uma Belina 86:


Armei minha barraca próximo ao seu carro, ficamos trocando uma ideia, papo viajante.

Passou um caranguejo desavisado, no meio de dois caras morrendo de fome:


Água do mar na panela, fogo, conta até 10 e caranguejo de janta.

Até sobrou!

Comments