Dia 7: Humahuaca - Potosí

postado em 22 de nov de 2013 10:38 por Road Garage   [ 18 de dez de 2013 09:52 atualizado‎(s)‎ ]
Acordei as 2h30m da matina e me lembrei de recarregar a câmera. Com o menor barulho que fiz, o cachorro do camping começou a latir. O cachorro vizinho começou a latir também, junto com o galo que começou a cantar e incrivelmente um burro ou jegue começou a relinchar. Tive a sensação que acordei metade de Humahuaca. Eu só queria recarregar a câmera, desisti e voltei a dormir. Agora sim, de manhã cedo, café da manhã dentro da barraca, olhando a moto:

(Humahuaca - Jujuy - Argentina)

Fazendo uma vistoria visual na máquina, percebo que o parafuso que segura o protetor da correia ficou pelo caminho. Sem problema, vou sem mesmo.

Partindo de Humahuaca em direção a Bolívia, o visual da cordilheira dos Andes é impressionante:

(Humahuaca - Jujuy - Argentina)

Muitos cactos, vales, serras e Lhamas:

(Ruta 9 - Jujuy - Argentina)

Por toda a ruta 9 deve-se tomar cuidado para não atropelar uma. Chegando em La Quiaca, extremo norte da Argentina:

(La Quiaca - Jujuy - Argentina)

Distância até o extremo sul 5121km. Tens coragem? Ushuaia está nos planos...

Antes de ir a fronteira, visitei algumas pequenas cidades patrimônio da humanidade, como Yavi. E minha surpresa quando voltei e encontrei a fronteira assim:

(Paso Fronterizo Villazon - Fronteira Argentina | Bolívia )

Era um "paro", uma manifestação no lado Boliviano e a fronteira estava fechada. Ninguém passava. Como tinha perdido muito tempo visitando as cidades, não tinha outra alternativa de roteiro para o dia, a não ser atravessar por ali. Aliás, qualquer outro roteiro teria que passar pelo Chile, o que mudaria a viagem completamente. Enquanto pensava o que fazer, a parte Argentina da manifestação resolveu vir gritar em frente a migração, onde eu estava. Consegue identificar a moto na foto abaixo?

(Paso Fronterizo Villazon - Fronteira Argentina | Bolívia )

Minha moto nunca foi tão tocada e alisada, mas na verdade até estava gostando, os Argentinos limpando os mosquitos que estavam lá grudados a dias. rs

Alguém veio falar comigo: "A moto é sua?" Era um carioca... Tinha casado com uma Argentina a 12 anos atrás e hoje manifestava pelo direito de carregar 6 sacos de trigo pela fronteira, ao invés da cota de 2 sacos de trigo.

Putz era isso? Nego quer fazer muamba com o trigo, carregando da Argentina para a Bolívia. Enfim, o carioca deu um jeito de tirar os caras de cima da moto:

(Paso Fronterizo Villazon - Fronteira Argentina | Bolívia )

Já tinha tentado todo o meu "portuñol" na migração, e os caras não queriam fazer de jeito nenhum, dizendo que não tinha como entrar na Bolívia. Depois de 2 horas esperando, os Bolivianos liberaram 1 carro e 2 motos para entrar na Argentina. Foi a oportunidade que estava esperando, corri na migração e disse que tinham liberado a fronteira. A oficial olhou, quase não acreditando, e fez a migração. Corri na aduana Argentina, o cara não tava nem ai, se a migração foi feita, beleza.

Pulei para Aduana Boliviana, o cara não estava lá, tinha ido almoçar... Ferrou fiquei no meio do caminho. Os Argentinos me olhando, viram que tinham feito merda em me permitir passar, mas... Nem ai.

O cara chegou do almoço, e disse: "Vc n vai conseguir passar, eles estão bloqueando a fronteira a 2 dias, só passa por 5 minutos as 10 da noite." Eu não iria ficar esperando, falei com ele que tinha conversado com os manifestantes e tinham deixado eu passar a moto, que era pequena. Ele olhou desconfiado e fez o procedimento. rs Nesse ponto eu já tava vendo a merda que estava fazendo, mas meio caminho andado, não se volta atrás. Fiz a migração Boliviana, liguei a moto e andei os 20 metros da ponte fronteiriça, parando em frente a manifestação. Tirei o capacete, cumprimentei os caras, nego me olhava sem acreditar, gritando "no passa" repetidas vezes. Olhei pra trás, a policial Argentina me olhando rindo.

Fui conversar com os caras, sem alternativa, veículos não iriam passar, apenas pessoas daqui a meia hora e num intervalo de 5 minutos. Tracei o meu plano e deitei na moto, esperando.

(Paso Fronterizo Villazon - Fronteira Argentina | Bolívia )

Passada meia hora, as pessoas começaram a gritar e eles abriram a calçada dos pedestres. Pensei: "é agora!" meti o Harlão no meio fio, que devia ter mais de 20cm, subiu de primeira a roda da frente, a traseira ficou patinando, fritei um pneu, subi a calçada e entrei na fila dos muambeiros. Os caras da manifestação piraram! Começaram a rir e brincar "faltam 30 segundos!" como se não desse tempo de passar... kkk Entrei na Bolívia pela calçada! 

Carajo!!! Benvenido Bolívia pela calçada... Pena não ter filmado. Fiz meu câmbio meio sem acreditar ainda e já vi como as coisas funcionam. Aqui não tem placa pra nada, vai perguntando de esquina em esquina até achar a ruta. Primeiro pedágio:

(Ruta Nacional 14 - Potosi - Bolívia )

Uns 15 militares no pedágio. Pra que? Vai lá na manifestação... Na hora de tirar a foto ficaram com vergonha e foram para trás da câmera. Enfim. Paguei o que devia ser pago (ou não, nunca vou saber, n teve recibo) e enrolei o cabo pois estava atrasado 4 horas, a noite chegando e eu na estrada:

(Ruta Nacional 14 - Potosi - Bolívia )

Aqui o sol se põe atrás da cordilheira e continua aquela penumbra, ate cair a noite de vez. Quando isso acontece, é um frio do cacete, nem segunda pele segura. Infelizmente tive que passar por isso durante 200km sem iluminação alguma, sinalização não existe, carros eram raros e o principal: não sabia onde estava, até milagrosamente chegar em Potosi, muitas horas depois. Quis entrar pela calçada, paguei o preço. Bolívia a noite: SINISTRO!

Comments