Dia 17: Puno - Cusco

postado em 10 de dez de 2013 10:16 por Road Garage   [ 19 de dez de 2013 07:03 atualizado‎(s)‎ ]
To ficando profissional em achar a saída das cidades sem auxílio de placas, já que não existem por aqui também. Vai na intuição, até encontrar a carretera, e depois na fé acreditando que aquela estrada é a correta. Rodo alguns kms até ver algum tipo de identificação confirmando que estou no caminho certo. Saindo de Puno pela 3S, rapidamente estamos em Juliaca, uma cidade com ruas apertadas, cheias de buracos e trânsito infernal:

(Juliaca - Puno - Peru)

Atravessei a cidade rodeado de tuc-tucs, motos de todos os tipos, bicicleta, galinha, lhama e o que pudesse aparecer na minha frente, só faltou aquele macaco gigante vindo correndo na minha direção tentando atrapalhar pois parecia que estava numa gincana de programa de auditório.

Depois de algumas outras cidades menores, finalmente entramos na região de Cusco e voltamos ao cenário do altiplano, muitas retas e curvas contornando os enormes paredões dos Andes:

(Carretera 3S - Cusco - Peru)

Aqui no Peru o griffo, assim como na Bolívia, também só vende gasolina, no máximo um banheiro simples:

(Cusco - Peru)

Esse era o melhor posto da estrada, onde se vê várias casas de família vendendo gasolina, muitas vezes estocada em vasilhames. Apesar de ser uma experiência inesquecível, preferi não ver minha moto abastecida com um penico. Estou judiando dela, mas não é pra tanto. Coincidência ou não, aqui a gasolina é vendida na quantidade de "galões" e não em litros.

O cenário por aqui é incrível, e a distração é inevitável. Certa hora me dei conta que a moto estava rebolando demais, simplesmente não tinha me dado conta que o asfalto estava com muita areia. Provavelmente uma tempestade passou por aqui recentemente:

(3S - Cusco - Peru)

Depois de alguns sustos e curvas perdidas, fui diminuindo gradativamente a velocidade. Caminhões na contramão levantavam aquela nuvem de poeira. A moto estava bem instável, sinceramente achei que ia comprar um terreno por aqui, mas a sorte estava do meu lado.

Tanto é que a chuva começou a ameaçar. achei que pela primeira vez iria pegar uma água, mas foi só pista molhada. A tempestade tinha acabado de passar.

Mais um dia inteiro de estrada, cheguei em Cuzco sem tempo para fazer nada, arrumei um hostel e uma garagem ao lado. Essa foi a melhor que consegui:

(Cuzco - Cusco - Peru)

Não tinha lugar coberto e pretendo ficar aqui 3 dias. Se chover, espero que lave a moto, tá precisando. Como estou precisamente no umbigo do mundo, capital do império Inca: Qosqo, coloquei um toco de madeira debaixo do descanso, não quero voltar e encontrá-la enterrada, ou melhor, engolida pela Pachamama. 

É muita doideira! E tem cara mais doido ainda que vem pra cá de moto!

Comments