Blog‎ > ‎

Água no motor e elétrica

postado em 27 de mar de 2016 19:27 por Road Garage
O dia seguinte a inundação é de trabalho:

(Resgatando a moto após a enchente - água no motor da moto)

Obrigado ao brother do JR Reboque que saiu da Zona Oeste para resgatar Ruanita no centro. Reboque muito bem bolado!

O principal após o alagamento, é não tentar ligar a moto. Como o motor ficou submerso, provavelmente entrou água por alguma das válvulas. A probabilidade do motor ter parado com as 4 válvulas fechadas e bem pequena e é muito provável que alguma das duas câmaras de combustão esteja cheia de água e ocorrer um calço hidráulico ao tentar acionar o motor!

Moto prestes a ser rebocada. Marca da água:

(Resgatando a moto após a enchente - o que fazer com motor alagado)

A primeira providência é tirar as velas. Com uma chave 11/16 ( ou 5/8) retiramos a vela dianteira seca, e a traseira, molhada:

(Retirando as velas para evitar o calço hidraulico - Liganto a moto após a enchente)

Sem o filtro de ar, e com a moto suspensa, pode-se engatar uma marcha alta e girar a roda traseira, com isso girando o motor e expulsando a água pelo orifício da vela. A segunda opção, desconectar a mangueira de combustível e dar start no motor. Entretanto, para ser feito dessa forma, devemos garantir que a parte elétrica esta ok.

Tiramos a bateria, limpeza nos bornes e carga lenta. Limpeza da caixa de fuzíveis e relés e desconectando os principais plugs para verificar a situação. Os conectores da Harley Davidson são excelentes quanto a vedação, a maioria com 3 camadas de borracha, impedindo a água de acessar a fiação. O restante do trabalho de secagem dos fios foi feito com um secador de cabelo, e a limpeza com bastante WD. Apesar de ter removido o aquário-lanterna para secagem, a humidade acabou por queimar a lâmpada do freio:

(Revisão, secagem e lubrificação da parte elétrica)

É pra secar mesmo! Trabalho de paciência...

Depois de garantir a parte elétrica, voltemos ao start:

(Expulsando a água do motor da moto Harley Davidson FXST Softail)

Além de cuspir bastante água pelo orifício da vela (recomenda-se manter distância, pois o jato d'água sai sob pressão), saiu também pelo escapamento traseiro, confirmando o alagamento do cilindro.

Depois de expulsar toda a água do cilindro, hora de drenar completamente todo o óleo contaminado do motor:

(Drenando óleo contaminado por água - Trocas sucessivas ajudam a carrear a água)

Além de drenar o tanque de óleo, pela primeira vez tirei também o parafuso do carter:

(Retirando o parafuso do carter da Harley Davidson Softail FXST - Não confundir com o parafuso do dreno do tanque de óleo)

Óleo bastante leitoso, mas não tem jeito, somente as sucessivas trocas de óleo ajudarão a carrear a água e eliminá-la por completo. O filtro de óleo também deve ser removido entre as trocas de óleo e trocado para melhor eficácia.

Troquei de óleo 4 vezes, apenas dando start no motor por menos de 1 minuto.

O quinto óleo estava em condições de rodar, apenas 30 km e foi drenado utilizando um solvente hidrocarboneto alifático:

(Fazendo a limpeza do motor com Flush após alagamento)

O solvente não ajuda a carrear a água, mas sim limpar qualquer borra ou sujeira que tenha ficado no motor. Quinto óleo do flush drenado e filtro de óleo trocado:

(Drenando óleo do Flush do motor)

Obviamente não utilizei o óleo Motul que uso regularmente, mas sim óleo de motores a diesel recomendado no manual da Harley. Saiu bem em conta a litragem, para poder trocar mais vezes.

Já está bem melhor! Vamos fazer mais trocas e renovar o Militec!

Enquanto isso, vamos fazer uma biópsia do filtro de óleo...
Comments